terça-feira, 16 de novembro de 2010

talentos



É sabido por todos que Amanda Cavalcante é uma excelente atriz, no entanto, tem se descoberto que ela é também uma fantástica desenhista
confira aqui algumas de suas obras

















segunda-feira, 15 de novembro de 2010

Leia o Regulamento das mostras artísticas e científica da 7ª Bienal da UNE

1. Estão abertas as inscrições para a seleção de trabalhos para as Mostras Artísticas e Científica a serem apresentados na 7ª Bienal da União Nacional dos Estudantes, que será realizada entre os dias 18 e 23 de janeiro de 2011, na cidade do Rio de Janeiro – RJ. As propostas poderão ser enviadas entre os dias 25/10/2010 e 30/11/2010. As inscrições serão efetuadas mediante preenchimento do formulário disponível no portal http://www.une.org.br. Poderá inscrever-se toda pessoa ou coletivo, com destaque para jovens e estudantes, que atendam às condições deste regulamento.

2. A organização do evento garantirá aos trabalhos selecionados: a) Pró-labore nas seguintes áreas (12º.a.b.c.d.e.h), a título de prêmio aos seus autores. A organização do evento se resguarda o direito de aferir o valor simbólico do prêmio. b) A hospedagem do(s) selecionado(s), caso haja necessidade, que será feita junto ao alojamento reservado exclusivamente aos participantes da Mostra Artística. c) Disponibilidade de estrutura necessária para realização da atividade selecionada.

3. Os trabalhos que não dispuserem de suporte digital e/ou demais materiais físicos solicitados deverão ser enviados via correio, endereçado à apoiadora do evento, a Coordenadoria de Juventude do Município do Rio de Janeiro, localizada na Praça Pio X, 119 - 11º andar - Centro – Rio de Janeiro – RJ - CEP: 20040-020. Os materiais enviados para julgamento não serão devolvidos. Não serão aceitas inscrições fora do prazo (valendo a data de postagem – 30/11/2010).

4. Havendo menores de idade no grupo é indispensável a declaração do responsável autorizando a participação no evento.

5. O selecionado dará autorização à edição, publicação e gravação do seu trabalho que tenha por objetivo apresentar os resultados da 7ª Bienal de Cultura da UNE. Os autores selecionados deverão fornecer documento disponibilizando o material sob a licença Creative Commons. http://creativecommons.org/license/?lang=pt

6. Cada autor poderá inscrever, no máximo, 3 (três) trabalhos de sua autoria em cada categoria.

7. Os inscritos e selecionados autorizam a UNE a divulgar as fotos e os trabalhos em jornais, revistas, canais de TV e outras mídias.

8. Todos os participantes que tiverem trabalhos apresentados receberão certificado de participação à 7ª Bienal da UNE e estarão isentos do pagamento da taxa de inscrição. Posteriormente será disponibilizado um catálogo digital de coletânea das Mostras Artísticas e Científica da 7ª Bienal da UNE.

9. A Coordenação da 7ª Bienal da UNE se reserva o direito de selecionar trabalhos participantes de outros festivais.

10. Será de responsabilidade exclusiva dos inscritos a veracidade das informações fornecidas à organização do evento.

11. Fica vetada a inscrição de trabalhos por pessoas que, de forma direta ou indireta, prestem serviços profissionais a UNE.

12. As Mostras Artísticas e Científica da 7ª Bienal da UNE são compostas pelas seguintes atividades:
a. Mostra de música;
b. Mostra de artes cênicas;
c. Mostra de audiovisual;
d. Mostra de artes visuais;
e. Mostra literária;
f. Mostra de ciência e tecnologia;
g. Atividades autogestionadas;
h. Mostra CUCA da UNE.

Parágrafo único: Trabalhos que envolvam de forma integrada duas ou mais áreas acima citadas devem se enquadrar na opção ARTES INTEGRADAS no ato de sua inscrição.

A. MÚSICA
a1. A Mostra de Música selecionará, no máximo, 10 (dez) trabalhos.
a2. A organização do evento fornecerá toda a infra-estrutura para a apresentação das canções/bandas, cabendo a cada autor com trabalho selecionado utilizar apenas seus próprios instrumentos (exceto bateria).

B. ARTES CÊNICAS
b1. A Mostra de Artes Cênicas selecionará, no máximo, 10 (dez) trabalhos, entre Dança, Teatro, Circo ou qualquer outra atividade cênica, seja ela de palco ou de rua.
b2. Os cenários, figurinos e demais elementos utilizados em cena são de responsabilidade das companhias.
b3. Material para inscrição : 1 DVD, com a apresentação do espetáculo ou ensaio geral; sinopse do trabalho (no máximo em duas laudas); relação do elenco; 1 cópia do portfólio (histórico) do grupo.

C. AUDIOVISUAL
c1. A Mostra de Audiovisual selecionará, no máximo, 20 produtos audiovisuais e dará preferência a curta metragens de até 10 minutos de duração.
c2. Material para inscrição: 2 (duas) cópias do trabalho no formato DVD; ficha técnica contendo: título, nome do diretor, local de produção, duração da obra e descrição de até duas linhas sobre o trabalho inscrito.

D. ARTES VISUAIS
d1. A mostra de Artes Visuais selecionará, no máximo, 20 trabalhos.
d2. A Mostra de Artes Visuais será composta das seguintes categorias: pintura, escultura, fotografia, desenho, gravura, artes gráficas, objeto, instalação, performance, vídeo e intervenção urbana.
d3. Material para inscrição: 1 reprodução do trabalho, impressa em papel fotográfico no formato 15x21 ou fotocópia ou gravada em CD-ROM neste caso com resolução 300 dpi e no formato JPG; 1 reprodução do trabalho em DVD (para performance, intervenção urbana e vídeo) ; Nome da obra (se houver); Valor da obra em reais. Resumo do processo criativo desenvolvido no trabalho para a concepção e a execução da obra (no máximo 1 lauda); Técnica empregada.

E. LITERATURA
e1. A Mostra Literária selecionará, no máximo, 20 (vinte) trabalhos.
e2. A Mostra Literária abrangerá as seguintes categorias: conto, poesia, crônica e dramaturgia.
e3. Os textos da categoria Conto deverão ter, no máximo, 10 (dez) laudas; Poesia e Crônica, 3(três) laudas; e Dramaturgia, 40 (quarenta) laudas. Entende-se por lauda o texto equivalente a 20 linhas com 70 (setenta) toques ou 1400 (mil e quatrocentos) caracteres.

F. CIÊNCIA E TECNOLOGIA
f1. A Mostra de Ciência e Tecnologia selecionará, no máximo, 200 trabalhos na modalidade oral e 50 pôsteres.
f2. Os trabalhos orais serão apresentados em grupo multidisciplinares e cada autor terá 20 minutos para sua explanação. Não será permitida a apresentação dos trabalhos orais por terceiros (não autores). Os pôsteres serão expostos ao longo das instalações da Bienal.
f3. Os resumos deverão seguir as normas estabelecidas pela ANPG.
http://www.sbpcnet.org.br/livro/60ra/resumos/listaresumos.htm
salaonacional.org.br/salao/index.php?canal=regulamento
f4. É de inteira responsabilidade dos expositores a confecção de seu pôster nas seguintes dimensões: 0,90m de largura por 1,00m de altura.

G. ATIVIDADES AUTOGESTIONADAS;
g1. As atividades autogestionadas integram a programação da 7ª Bienal da UNE e podem ser oficinas, seminários, conferências, testemunhos, marchas, entre outros, e são espaços de intercâmbio, reflexão e elaboração de visões sobre a arte e cultura em geral.
g2. Nas atividades autogestionadas, o(s) proponente(s) tem inteira responsabilidade na definição de seu formato, nomes de eventuais palestrantes, e outras necessidades. A coordenação da 7ª Bienal visa garantir a infraestrutura básica, como o local para a realização da atividade, e se responsabiliza pela divulgação na programação do evento.

H. MOSTRA CUCA da UNE;
h1. Os Centros Universitários de Cultura e Arte da UNE são espaços de produção e articulação universitária. A mostra CUCA da UNE visa contemplar manifestações culturais e artísticas desenvolvidas pela rede CUCA da UNE, seus parceiros e co-realizadores.
13. Qualquer caso omisso nesse regulamento será decidido pela Coordenação Geral da 7ª Bienal da UNE.

domingo, 17 de outubro de 2010

Visão do estudante.

o Presidente do DCE, Kleiton, fala sobre a importância do CUCA CHEIA na UFMT Campus Rondonópolis. Veja o vídeo.

terça-feira, 21 de setembro de 2010

Um novo colunista

O Coordenador Geral do CALET, AURELINDO CONCEIÇÃO é nosso mais novo colunista, sua primeira postagem onde ele fala sobre o que é o CUCA e sua respectiva visão sobre o movimento cultural universitário. Confira aqui

quarta-feira, 15 de setembro de 2010

58º CONEG da UNE

O Saudade do Rio de Janeiro-RJ...

terça-feira, 14 de setembro de 2010

terça-feira, 7 de setembro de 2010

Dessa vez a Independência vem?

A independência deu muitas voltas ao longo dos anos, muitas mortes e conquistas fizeram da história um emaranhado de fatos, a esse respeito, nosso colunista Felipe Teixeira diz-nos algumas verdades.
Confira o que ele diz aqui

quarta-feira, 1 de setembro de 2010

Uma pérola


Vasculhando os blogs mais interessantes, encontrei uma perolazinha chamada Lu Pinheiros, com uma sensibilidade aguçada Lu escreve sobre o mundo de uma forma poética e atraente. Posto aqui algumas palavras dessa menina encantadora e muito sábia. Confira aqui

sexta-feira, 27 de agosto de 2010

O BICHO NOSSO DE CADA DIA

Muitos jovem, ao ingressar na universidade, sofrem com a falta da familia, a saudade de casa e dos amigos, muitos desses não conseguem administrar muito bem essas situação e é aí que alguns problemas psiquicos podem aparecer. A séndrome do pânico é um desses problemas. A esse respeito, Grazy faz uma breve parábola, contanto como de fato se sente uma pessoa com a síndrome, seus medos e sentimentos. Leia o texo na íntegra aqui

terça-feira, 24 de agosto de 2010

Vamos refletir...


Em mais uma de suas peripérsias a cuqueira Grazy fala mais uma vez sobre o abstrato, sobre o oculto, sobre tudo aquilo que não pode ser entendido. Em seu texto Aquarela Negra, Grazy retrata tudo isso e um pouco mais, revelando assim seus abstratos pensamentos.

segunda-feira, 23 de agosto de 2010

Em poucas palavras de BEAUVOIR


Ninguém nasce mulher: torna-se mulher. Nenhum destino biológico, psíquico, econômico define a forma que a fêmea humana assume no seio da sociedade; é o conjunto da civilização que elabora esse produto intermediário entre o macho e o castrado que qualificam de feminino.[1]

Quanto mais a criança cresce, mais o universo se amplia e mais a superioridade masculina se afirma (...). A hierarquia dos sexos manifesta-se a ela [à menina] primeiramente na experiência familiar; compreende pouco a pouco que, se a autoridade do pai não é a que se faz sentir mais cotidianamente, é entretanto a mais soberana; reveste-se ainda mais de brilho pelo fato de não ser vulgarizada (...). A vida do pai é cercada de um prestígio misterioso: as horas que passa em casa, o cômodo em que trabalha, os objetos que o cercam, suas ocupações e manias têm caráter sagrado. Ele é quem alimenta a família, é o responsável e o chefe. Habitualmente trabalha fora e é através dele que a casa se comunica com o resto do mundo: ele é a incarnação desse mundo aventuroso, imenso, difícil, maravilhoso; ele é a transcendência, ele é Deus. [2]

1 - BEAUVOIR, Simone de. O Segundo Sexo. Rio de Janeiro, Nova Fronteira, [1949] 1980, p.9. (negritos meus)
2 - BEAUVOIR, Simone de. O Segundo Sexo. Rio de Janeiro, Nova Fronteira, [1949] 1980, p.28-29. (negritos meus)

domingo, 22 de agosto de 2010

Coluna: Olhar Jurídico

Essa semana, em comemoração ao dia 26 de Agosto, Dia Internacional da Igualdade da Mulher e também o histórico dia em que durante a Revolução Francesa foi votada as Declarações dos Direitos dos Homens e Cidadãos na França, postaremos alguns artigos reflexivos a despeito dessa temática.

Agora, com a palavra, e principalmente, com um Olhar Jurídico, André Luiz G. Duran.
E nessa sua publicação inagural, André nos traz um artigo com título: "A pseudo-igualdade entre os gêneros". A partir de sua interessante observação Jurídica relativo ao exagero que ocorre em nome do movimento feminista e, consequentemente, o ato de subjugar outrem. Leia o artigo aqui.

sábado, 21 de agosto de 2010

Pré-estréia: Felipe Barbosa Teixeira




A Pré-estréia do nosso Colunista Felipe Barbosa Teixeira; pois, ainda não é a sua coluna inagural de fato aqui. Mas, nos traz uma resenha do Livro Trajetória de Vida e Formação acadêmica: O Programa Conexões de Saberes na UFMT, organizado pelas professoras Dr.ª Ivone Maria Ferreira e Msc. Marilda Matsubara e publicado pela editora EdUFMT.

Leia na integra a Resenha aqui.

domingo, 15 de agosto de 2010

Você sabe o que é ponto de cultura?

Descubra como montar o seu ponto de cultura e qual sua importância, acesse aqui.

sábado, 14 de agosto de 2010

Música erudita

Aqui estar uma breve contextualização sobre a orquestra sinfônica da UFMT, veja como se contrói nossa história.

quinta-feira, 12 de agosto de 2010

Arte e Dança

Quem é que nunca dançou ou movimentou o corpo com o batuque de uma música? Bem, é difícil encontrar uma pessoa que nunca se remexeu ou contorceu ao ouvir um som. Mesmo os mais conservadores e reservados...


A Dança tem também sua variavel na expressão, deixa de ser arte para ser instrumento de sedução como sempre foi utilizada pelos românticos como forma de aproximação para com a pessoa amada. Conheça mais sobre essa temática, leia aqui!

Coluna Reflexão

Em tratando-se de reflexão, gostaria de fazer pensar um pouco sobre quem somos nós, por quê estamos nesse mundo? Qual a missão que devemos ter?
A esse respeito a cuqueira Grazy Lemes escreve "um poema para discutir a essência da vida, se é que há alguma", diz ela. confira aqui mais uma das invenções da cuqueira rebelde...

quarta-feira, 11 de agosto de 2010

Orquestra do Estado de Mato Grosso em Rondonópolis

No próximo sábado, dia 14 de agosto, Rondonópolis-MT, terá concerto da Orquestra do Estado de Mato Grosso sobre a direção artística de Leandro Carvalho.

Com intuito de democratização e acesso à cultura, a Orquestra do Estado de Mato Grosso lançou os Concertos Populares. E na temporada 2010, contam com a participação do violeiro Roberto Correa, cuja farão apresentações nos dias 12/08 - Praça do Caic (Bairro Pedra 90)/ Cuiabá, 13/08 - Campo Verde, 14/08 - Rondonópolis, 16/08 - Nova Mutum, 17/08 - Lucas do Rio Verde, 18/08 - Sorriso, 20/08 - Campo Novo, 21/08 - Sapezal.

Ficou curioso então, conheça um pouco a Orquestra:

segunda-feira, 9 de agosto de 2010

Coluna Reflexão: Cenouras são mais laranjas que as laranjas, e mesmo assim, são cenouras

Inaugurando a Coluna Reflexão, a Cuqueira Grazy R. Lemes apresenta sua ilária crônica: Cenouras são mais laranjas que as laranjas, e mesmo assim, são cenouras. Leia-a aqui.

Grazy R. Lemes é uma simpâtica garota do interior de Mato Grosso, Rondonopolitana de nascimento; mas, natural de corpo e coração do distrito de Jarudore/Poxoréu-MT. Onde desde meninice descobriu a beleza na Arte Cênica.
Sua rebeldia marcante foi a força motriz que levou-a para militância estudantil logo que entrou na Universidade Federal de Mato Grosso. Quando soube do Projeto de Expansão de Cultura fomentado pela UNE, e que o DCE 11 de Agosto estaria fundando o CUCA no Campus de Rondonópolis, despertou-lhe uma intensa alegria e entusiasmo para militar no Movimento Estudantil através das manifestações artístico-culturais.
Grazy já participou do 58º Conselho Nacional de Entidade Gerais promovido pela UNE, realizado na cidade maravilhosa, Rio de Janeiro-RJ. Onde teve oportunidade de fazer diversos diálogos com outros militantes, descobrir as variantes manifestações política-estudantis do nosso Brasil. Além disso, curtiu muito os agitos do Viradão Carioca e da II Bienal de Cultura da UEE-RJ. Sente um imenso orgulho de ser militante e cuqueira. E afirma: "Levarei os cuqueiros e outros estudantes para conhecerem o Instituto CUCA da UNE na 7ª Bienal de Cultura e Arte da UNE, no verão de 2011. Fortaleza-CE, aí vamos nós!"

quinta-feira, 5 de agosto de 2010

Verdades e Realidades do Cartoon

Quino, cartunista argentino autor da “Mafalda”, desiludido com o rumo deste século no que diz respeito aos valores humanos.








quinta-feira, 10 de junho de 2010

Para hoje, para sempre... Gol histórico no dia da Copa! Vitória no Congresso Nacional! Aprovado os 50% do Fundo social do Pré-sal para a educação!




Campanha iniciada em 2009 pelos estudantes brasileiros agora é realidade! 50% do Fundo Social do Pré-Sal para Educação!



>> Assista Vídeo da campanha lançada pela UNE no 58º CONEG -Rio de Janeiro -RJ.




video



Acesse: http://www.une.org.br/ e http://www.anpg.org.br/





domingo, 6 de junho de 2010

Manifesto Trama






Os presidentes André Szajman e João Marcello Bôscoli apresentam a carta de intenções da Trama, com suas crenças e propostas





O objetivo desse Manifesto foi criar um documento mutável que refletisse nossas crenças e propostas. Para isso, mergulhamos em um processo intenso, onde depois de seis anos de fundação, revisitamos, questionamos e acrescentamos novas idéias à nossa TRAMA. Nós não podemos aceitar que nossos valores se diluam com o crescimento da nossa empresa.




O que você vai ler a seguir é uma grande parte dessa busca por inovação, renovação e movimento.




André Szajman e João Marcello Bôscoli




Nós da Trama acreditamos que:




- A vida sem música é um erro. A música é uma crônica de sua época. Os interesses comerciais não podem definir a música. A música é definida pelas pessoas e pelo seu tempo.- Música é nossa Essência.




Acreditamos na capacidade da música emocionar e transformar pessoas. E, além disso, acreditamos na arte que sensibiliza mas que também desperta consciência e senso crítico. Acreditamos que a arte é um caminho para o desenvolvimento político e social do país.




- Devemos preservar e valorizar as relações humanas.Somos indivíduos antes de tudo. O caminho para uma relação saudável entre artistas, produtores, distribuidores, difusores e consumidores é a busca constante pela manutenção da conexão entre o que se acredita como pessoa e o que se pratica como profissional ou empresário (valores éticos e estéticos).Assim como na educação e na saúde, a música não pode ser exercida por pessoas descomprometidas, ou que não tenham ligações emocionais e filosóficas com o que fazem. Acreditamos que é preciso ter sinceridade, ética e emoção.




- A tecnologia existe para servir a música e não o contrário.Acreditamos em novas e tradicionais tecnologias, que criam novas maneiras de trabalhar, produzir, pesquisar, ver e ouvir.


A tecnologia digital (Internet, celular, TV, etc.) é a maior difusora de música da história da humanidade, convergindo divulgação e consumo em tempo real.


- Propósito Original. Não havia uma empresa no início dos tempos e um artista foi pedir emprego. Havia sim um artista e ao redor dele se construiu um negócio. Toda vez que esta direção for invertida teremos problemas, pois o propósito é e sempre será a MÚSICA. Por tudo isso, nós da Trama nos propomos a:


- Utilizar a música como principal critério de decisão. Música é o centro do nosso universo, nossa prioridade, inspiração e meio de vida.




Estimular um movimento de transformação da indústria que dê à música sua devida importância - cultural e mercadológica - dentro do negócio, respeitando seus valores e propósitos originais.- Reunir pessoas que acreditem nas mesmas coisas que nós.Investir no artista que cria sua obra, acredita nela e constrói uma carreira sustentável; que realiza todo o seu potencial de mercado através do talento e mérito. Isso para nós é sucesso.




- Incentivar e apoiar o artista nacional para que seu trabalho tenha forma, acabamento e linguagem reconhecíveis internacionalmente.




Fortalecer e estimular a atuação da música independente.Manter uma constante busca por inovação, renovação, consolidação e perpetuação das obras artísticas brasileiras.- Utilizar a tecnologia digital como facilitadora da prospecção artística, da criação, produção, interação, promoção e distribuição de música.




Criar relações baseadas no respeito, liberdade e compartilhamento de visão ética e estética de uma forma consensual, nunca imposta.




- Valorizar as relações humanas: artistas, veículos e consumidores, todos nós somos indivíduos antes de tudo.Manter relações transparentes e verdadeiras.Somos um movimento de MÚSICA!


Fonte: TRAMA OFICIAL

sábado, 29 de maio de 2010

A morte da voz humana


João Marcello Bôscoli - O Estado de S.Paulo



''Esse texto é, antes de tudo, uma defesa do ser humano, essa parte fundamental e determinante da natureza. Com mérito e liberdade, sem precisar de retoques''
29 de maio de 2010 0h 00


O auto-tunning é o Photoshop da voz. O cantor está desafinado? A voz não chegou lá? Auto-tunning nele. O software que corrige a afinação de cantores criou no campo da música a recompensa sem o devido esforço, algo que a maioria dos humanos busca incessantemente, levando à falência qualquer método de ensino. Dane-se o mérito. Às favas a vocação. É como se o Ronaldinho Gaúcho usasse uma chuteira que acertasse o gol por si. Treinar pra quê?

O talento perdeu um pouco de sua importância vital. O palco e a plateia se nivelaram por baixo, tornando o ordinário e o extraordinário equivalentes. E o pior: com sua precisão matemática irreal, com suas ordenadas e abscissas higienistas, o auto-tunning transforma as características da voz humana em defeitos.
E essa é a grande preocupação: o estabelecimento de um padrão inatingível para o ser humano - logo, desumano. Dessa forma, em nome da "perfeição", nunca mais correremos o risco de estarmos certos. Foi o que o Photoshop fez com a pele humana. Gerou um padrão estético onde poros, rugas de expressão, pêlos e outras características foram alçadas à condição de defeitos. A capacidade desse padrão de gerar frustrações, tristeza, sofrimento e culpa é gigantesca. A quem interessa isso? A favor de quem é isso?
Lembro que o conceito de perfeição é completamente humano. Na natureza a evolução é contínua; nada é perfeito. Além disso, evolução também pode ser para o bem ou mal - "evoluir a óbito" significa morrer, por exemplo.
Seguindo a lógica do auto-tunning, Nat King Cole, Aretha Franklin, Maria Callas, Elis Regina, Donnie Hathaway, Paulinho da Viola, Louis Armstrong e João Gilberto são desafinados. Simples assim.
Mais do que a falência da meritocracia, o software pune o talento. Aproveitando o ensejo: qual o problema de cantar desafinado? Tenho uma lista extensa de cantores que não afinam nem por decreto e, ainda assim, emocionam-me. E ouvimos música apenas por razões emocionais.
Hoje em dia tomamos remédio quando sentimos tristeza, comemos lixo pré-mastigado com gosto de comida quando sentimos fome, dopamos as crianças quando elas estão muito agitadas, usamos softwares de afinação quando temos um cantor desafinado, passamos horas em frente ao computador quando nossa vida parece desinteressante, fazemos milhares de amigos digitais quando sabemos que na realidade temos menos de dez amigos de verdade. Onde vamos parar? Queremos nos tornar humanoides robóticos sem talento? Queremos uma Idade Média Digital?
Outro dia li uma das maiores barbaridades de toda minha vida: "Com o programa de afinação computadorizado, o cantor pode se concentrar apenas na interpretação." Bem, da minha parte respondo que se alguém quiser emocionar exclusivamente com sua interpretação sem pensar na afinação, deveria ser ator.
Se você encontrar Gisele Bündchen ao vivo, perceberá que ela tem poros, marcas de expressão e que sua beleza e movimento ainda estão lá. Se ouvir Stevie Wonder ao vivo, ouvirá "imperfeições" e igualmente sentirá que sua emoção, genialidade e carisma existem - sem o software de afinação. Por outro lado, é comum notarmos a decepção da plateia quando ouve ao vivo um cantor que gravou digitalmente dopado, com a voz corrigida pelo computador.
Sinceramente gosto muito do auto-tunning quando usado às claras, como efeito na voz, a serviço da música, assim como aprecio a utilização do Photoshop como ferramenta artística, ambos criando imagens e sons inéditos. Creio que em arte, ao contrário da medicina, por exemplo, a liberdade deve ser total. De preferência sem fraude. Uma coisa é usar a tecnologia como extensão do talento de determinado artista; outra é usá-la para esconder a falta de talento. Jamais iria a uma passeata contra a guitarra elétrica ou qualquer outro instrumento de manifestação artística. Esse texto é, antes de tudo, uma defesa do ser humano, parte fundamental e determinante da natureza. Com mérito e liberdade, sem retoques.


JOÃO MARCELLO BÔSCOLI É MÚSICO, PRODUTOR E RESPONSÁVEL PELA GRAVADORA TRAMA


quinta-feira, 27 de maio de 2010

MinC lança edital para de convocação de membros da Cnic


O Ministério da Cultura, por meio da Secretaria de Fomento e Incentivo à Cultura, abriu o processo para indicação dos membros que comporão a Comissão Nacional de Incentivo à Cultura (CNIC) para o biênio 2011/2012. A CNIC, integrada por membros do poder público e representantes da sociedade civil, é a última instância de análise dos projetos culturais e subsidia o ministro em sua decisões relativas à Lei Federal de Incentivo à Cultura. As inscrições estão abertas até 14 de julho.

O processo de habilitação dos representantes da sociedade civil organizada para indicarem os membros que comporão a CNIC está aberto a entidades de caráter associativo de âmbito nacional representativas de setor cultural, artístico ou do empresariado nacional. O edital traz uma inovação na metodologia, que visa ampliar a representatividade das cinco regiões brasileiras em seu plenário.

O edital, o formulário de inscrição e mais informações estão em www.cultura.gov.br.

Blog Debate Cênico discute ações da Funarte e do Ministério da Cultura para as artes cênicas

Rio de Janeiro, 26 de maio de 2010

Blog Debate Cênico discute ações da Funarte e do Ministério da Cultura para as artes cênicas
Artistas e profissionais das artes cênicas têm agora um novo espaço para debater as políticas públicas do setor. Desde o início de maio, o blog Debate Cênico tem reunido pessoas em torno de temas polêmicos, como o Fundo Setorial para as Artes Cênicas. Esse fundo está previsto para ser lançado em meados de junho pelo Ministério da Cultura e Fundação Nacional de Artes (Funarte), com orçamento previsto de R$ 80 milhões para o teatro, a dança e o circo.

Criado e mediado pelo diretor do Centro de Artes Cênicas da Fundação Nacional de Artes, Marcelo Bones, o blog nasceu com a finalidade de ser um canal de comunicação direto da Funarte com os artistas. Segundo ele, a ideia é que as discussões contribuam para a formulação das políticas públicas voltadas ao setor. Um grupo de discussões http://groups.google.com.br/group/debatecenico também foi criado para ser o “ponto de encontro” dos debatedores e, com seu conteúdo, alimentar o blog, que, por sua vez, publica os documentos, as propostas e uma síntese das mensagens trocadas.

“O blog foi o mecanismo que encontramos para, em pouco tempo, colocarmos um debate nacional envolvendo artistas dos três segmentos em diversos estados do país”, esclarece Bones. Em sua opinião, o grande desafio é manter o diálogo com esses três importantes segmentos, cada um – ressalta – com características, problemas, soluções e estágios de mobilização distintos.

Com foco no Fundo Setorial, o blog também tem debatido outros assuntos, como propostas de editais e uma nova divisão de recursos por áreas e regiões. Bones enumera nesse espaço, também, algumas das propostas da Funarte. Entre elas, a criação e o desenvolvimento de um centro de referência internacional das artes cênicas, com ações voltadas para a qualificação de excelência e para a cooperação e circulação internacional de espetáculos. Até meados de maio, o blog contabilizava mais de 500 visitas e, o grupo, 286 membros.

segunda-feira, 24 de maio de 2010

Manifesto pela Cultura Viva


Nós, cidadãos brasileiros, reconhecendo que a cultura de um povo é capaz de determinar o seu destino, convocamos a todos que se preocupam com a cultura brasileira a apoiar este manifesto. Sabemos que sua produção artística, a diversidade de sua expressão simbólica, suas relações sociais e seu imaginário são capazes de fecundar utopias e ampliar as possibilidades de atuação política deste povo. Tudo isso amplia sua capacidade de intervir e transformar sua realidade social, contribuindo para a construção de um país mais justo, mais humano e mais feliz.


Nossa cultura, gestada e enraizada nas entranhas do Brasil, é pulsante, criativa e forte. Queremos garantir esta Cultura Viva! Queremos continuar a “desesconder” o Brasil, reconhecendo e reverenciando a cultura de um povo capaz de assumir sua história e construir no presente, o futuro desejado. Queremos garantir a expressão da pluralidade brasileira, esta revolução silenciosa que fazemos, trazendo os atores de baixo para cima, na construção de uma memória presente, através das novas possibilidades de difusão e acesso à cultura.


É preciso reconhecer nossa latente criatividade e afirmar que nós, atores sociais, produzimos cultura e, portanto, fazemos a nossa história. Nesse sentido, os Pontos de Cultura cumprem um importante papel no confronto aos padrões produtivos hegemônicos, intervindo na democratização dos meios de produção e acesso à cultura, valorizando as demandas produtivas de parcelas da população que anteriormente foram alijadas do acesso ao recurso público, não sendo reconhecidas em seus direitos e possibilidades históricas. Incentiva a preservação e promove a diversidade cultural brasileira, contemplando manifestações culturais de todo o país, reconhecendo a cultura em toda a sua complexidade, desde as que ocorrem nas grandes cidades, em favelas e periferias, às que se encontram em pequenos municípios, ou em aldeias indígenas, assentamentos rurais, comunidades quilombolas e universidades. Sempre preservando a autonomia, visando o exercício máximo da potência de cada sujeito envolvido e reconhecendo os Pontos como protagonistas da sua realidade.


Por isso, estamos propondo a criação de uma Lei que garanta os princípios desta Cultura Viva e a torne uma política de Estado. Queremos a Lei Cultura Viva!


Acreditamos que os Pontos de Cultura, ao incorporarem novos atores – que reconhecidamente despertam para um novo formato de execução e disseminação de sua produção cultural – criam possibilidades históricas que aproximam esses atores sociais da dinâmica do Estado. Isso porque são eles que iniciam todas as cadeias produtivas da cultura – onde o acesso às tecnologias produtivas, é condição essencial para a participação no processo de formulação de políticas públicas plurais e afirmativas. A lei Cultura Viva visa garantir uma produção cultural criativa, que se realize de baixo para cima, potencializando desejos e criando situações de encantamento social, por meio dos Pontos de Cultura.


Defendemos a inclusão da cultura no capítulo dos direitos sociais da constituição brasileira, a implantação do sistema nacional de cultura, a ampliação e democratização do financiamento público para a atividade cultural.


Reforçamos a campanha pela Lei Cultura Viva, garantindo de maneira democrática e participativa que o reconhecimento e o apoio aos Pontos de Cultura se transformem em uma política de Estado!


Cultura como direito de cidadania e dever do Estado!


Cidadania Cultural como direito de todos!


Vamos todos juntos, unidos, abraçar esta causa!


Clique aqui para assinar o manifesto


sábado, 22 de maio de 2010

UM LEMA PARA NOSSA LUTA




COMIDA/ TITÃS

Compositor: Arnaldo Antunes / Marcelo Fromer / Sérgio Britto

Bebida é agua
Comida é pasto
Você tem sede de que?
Você tem fome de que?

A gente não quer só comida,
A gente comida, diversão e arte
A gente não quer só comida,
A gente quer saída para qualquer parte
A gente não quer só comida,
A gente quer bebida, diversão, balé
A gente não quer só comida,
A gente quer a vida como a vida quer

Bebida é agua
Comida é pasto
Você tem sede de que?
Você tem fome de que?

A gente não quer só comer,
A gente quer comer e quer fazer amor
A gente não quer só comer,
A gente quer prazer pra aliviar a dor
A gente não quer só dinheiro,
A gente quer dinheiro e felicidade
A gente não quer só dinheiro,
A gente quer inteiro e não pela metade

REGULAMENTO GERAL DA 6ª BIENAL DE CULTURA DA UNE


olá camaradas,
Eis aqui o regulamento da 6° Bienal da UNE
dêem uma olhada e vamos começar a trabalhar para irmos a mais esse marco na história da arte no Brasil e na história do movimento estudantil. Em uma só voz vamos cantar os temas e os encantos de Mato Grosso levando ao Brasil mais uma vez as ideias de nosso Campus.
Vamos produzir, enviar e quiçá receber nosso mérito diante da União Nacional dos Estudantes.
Eis aqui o site para que fiquem por dentro das novas regras.
Abraços do CUCA
http://cucabienaldaune.blogspot.com/2008/08/saiba-como-inscrever-seu-trabalho-na.html

Música: Tua Boca




A tua boca me dá água na boca

Ai que vontade de grudar

uma na outra

E sugar bem devagar,

gota por gota

Beija-flor beijando a flor

ou borboleta


A tua boca me dá água na boca

Que vontade de rasgar a nossa roupa

Vamos pra qualquer lugar,

praquela gruta

Pra qualquer quarto de hotel

praquela moita


A tua boca me dá água na boca

Que vontade de gritar, é uma bomba

Acho que vai rebentar, desgraça pouca

Azar eu vou me matarna sua boca
Azar eu vou me matar na sua boca

domingo, 16 de maio de 2010

Conheça o CUCA



O Centro Universitário de Cultura e Arte (CUCA) é um espaço em movimento para fazer
e acontecer a arte estudantil, para fomentar o debate e a expressão criativa de jovens artistas. Mas não se resume a isso. É também difusor entre os universitários da importância da cultura e da identidade nacional para a construção de um novo projeto de nação, que valorize a cultura popular e nossas relações com os povos.